Minha família livre do sequëstro e da morte

Testemunhos - Testemunhos

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
Com 34 anos, em mais uma mesa de bar com amigos, outro amigo de toda
turma apelidado por nós de “Pica-Pau”, que é evangélico,se aproximou da mesa e apontou pra mim e disse:“Mauro você um dia ainda vai falar muito de Jesus: Pode se preparar !”. Eu debochei do rapaz: “Eu, falar de Jesus? Que papo doido desse cara!”. Depois disso, se passaram vários anos.

Aconteceu em 1º de março de 2005 na cidade de Niterói, RJ.

Eu, Adriane e Matheus, de oito anos, por volta das 22h, fomos abordados por três homens armados. Um deles apontou a arma para minha cabeça e mandou abrir
a porta traseira onde se encontrava meu filho. O menino quando viu o homem entrar com a arma na mão, entrou em pânico e começou a gritar. Foi ameaçado com a arma em sua cabeça: “Pare de gritar, senão vou estourar sua cabeça”. Entramos em pânico, pois ele parecia estar drogado. Ele veio pra cima de mim e encostou a arma na minha nuca e disse: “Faça ele parar se não vou estourar seus miolos”. Comecei a acalmar o Matheus: “Fique, por favor, quietinho, que ele não vai nos fazer mal”. Os outros 2 homens permaneceram em um Pálio, que era roubado, quando o que estava no meu carro ordenou que saíssemos. Ele abriu a mala do Pálio e jogou-me nela. Jogou minha esposa por cima de mim e tentou fechar a mala, mas não havia espaço para os dois. Percebendo que não dava, puxou minha esposa pelos cabelos e fechou a mala comigo dentro. Ali dentro, dei valor à vida.Pensei na hora que eles iriam colocar fogo no carro comigo dentro, pois até o momento não sabia que eles queriam seqüestrar meu
filho.Um carro arrancou! Eles levaram minha família no meu carro. Consegui sair. Parei um casal que me socorreu até a delegacia. Muito nervoso, pedia, gritando, para o policial trazer minha família.O policial tentava me acalmar. Já era de
madrugada e comecei a notar que os policiais aguardavam o amanhecer. Isso me deixou mais nervoso, pois o homem que levou minha esposa e filho se mostrou muito violento.

Depois que a polícia me mandou embora,naquele instante,larguei o homem e coloquei minha esperança em Deus.Depois de tantas decisões erradas na vida,tomei a decisão certa! E a fé nos salvou!“ Mesmo sem conhecer Deus, lembrei dele. Desci ao pátio da delegacia, chorando muito e, antes de pedir a ele, me veio um sentimento de arrependimento das coisas erradas que fiz. Tomei
coragem e pedi a Deus: “Perdoa-me pelos erros, traga minha família de volta e eu irei para a igreja”.

Deus salva minha esposa (Testemunho de Adriane):

'O homem me empurrou no chão e disse: “Primeiro vou dar um tiro na sua espinha”.Comecei a pedir:“Por favor,não faça isso!” Estava nas mãos de um assassino! Coloquei as mãos na cabeça com medo tiros. Fechei meus olhos e tranquei a respiração. Mas ele não atirava ! Olhei entre os dedos e o vi com os olhos arregalados e com as mãos tremendo. Começou a me olhar fixo, andou em minha direção e novamente fechei os olhos; tranquei a respiração. Ele não atirava! Senti que ele se abaixou e falou no meu ouvido: “Suma daqui, pegue o garoto, estou bolado!”. Levantei a cabeça e ele me deu as chaves do carro e correu entrando no mato. Fiquei sem ação e parada olhando para onde ele entrou,com medo dele voltar. Lembrei do menino e comecei a descer correndo com a sensação dele estar vindo atrás. Descendo pelo matagal, passava pelas casas e ninguém abria a porta. Cheguei no carro,abracei meu filho e saímos da favela em nosso carro, graças ao amigo Jesus.'


Dois dias após o seqüestro, um amigo, Edivaldo, nos ajudou e nos acolheu em sua casa. Sua esposa, Severina, que é crente, nos colocou no carro e nos levou na casa da missionária Ana, que hoje mora nos Estdos Unidos. Ana, que não sabia sobre o seqüestro, por revelação de Deus, nos falou do livramento de morte de minha esposa. Lembro-me que chorávamos muito. Ela nos perguntou: Vocês querem aceitar Jesus como único salvador e ter como herança à vida eterna ? Sim! Levantamos as mãos e aceitamos Jesus como salvador.


Anos depois, encontrei com Pica-Pau. Corri, dei um forte abraço e disse: “A Paz do Senhor !”. Ele olhou assustado. Eu disse:“Aconteceu o que Deus te usou para falar naquele bar há muitos anos atrás. Que eu falaria de Jesus”.

Jesus nunca vai desprezar um coração que se arrepende. Se arrependa hoje e seu criador vai mudar sua vida!