O dia em que conheci Jesus

Testemunhos - Testemunhos

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
A Paz do Senhor.

Caros irmãos, venho aqui relatar um grande e maravilhoso testemunho, do que se
iniciou em minha infância.

Sou a terceira filha de meus pais, a caçula. No ano em que nasci, meu pai
foi assassinado. Após o assassinato, tomaram tudo que possuíamos.
Fomos perseguidos até os meus doze anos pelo assassino de meu pai.
Minha mãe, diante disso e temendo que a qualquer momento ou por influencias desta
perseguição pudesse nascer em nossos corações o desejo de fazermos justiça com as nossas próprias mãos, quis nos desviar deste perigo e nos encaminhou a uma religião. Fomos envolvidos com os ensinamentos da Assembléia de Deus.Fazia questão que estudássemos em colégios evangélicos.

Devido às necessidades, fomos criados na casa de parentes, e na maior parte de nossas vidas vivemos com uma tia assembleiana, a qual se encarregou de orientar-nos e ensinar-nos os caminhos verdadeiros do Evangelho.

Foi neste período que meus irmãos e eu descemos as águas batismais. Na época eu
estava com dez anos. Testemunhei a minha primeira experiência com Jesus, um grande milagre: quando nada mais tinha para nos alimentar, no desespero fomos à casa de uma tia que sugeriu-a que se prostituísse para sustentar-nos.

Chorando muito voltou para casa e serviu o último alimento que tínhamos, um pouco de açúcar, pôs na água e deu um pouco a cada filho, enganado a fome.

Chorando copiosamente, caiu de joelhos, pediu ao meu irmão para buscar a Bíblia, leu o versículo 27 no livro de Salmos, colocou a mão direita do meu irmão, da minha irmã e a minha, em cima da Bíblia, cobrindo com a dela e ali fez uma oração.

No dia seguinte minha mãe saiu caminhando sem rumo. De repente, decidiu entrar no em uma agência bancária, lá perguntou para a atendente do caixa se havia algum dinheiro para ela. A atendente pediu o seu documento e que aguardasse, pois iria ver. Ao retornar, disse que havia uma quantia de quinhentos mil cruzeiros, que naquela época era muito dinheiro. Ela não sabia quem mandara tal quantia, e nunca soube. Tenho certeza que foi Jesus.

Quando eu e meus irmãos retornamos do colégio, havia em cima da mesa, bananas, laranjas, alface e um saboroso cheiro de comida, que já há muito não sentíamos.
Este dinheiro deu para pagar todas as nossas dividas. Este dia ficou gravado em
nossos corações como: “O dia em que conhecemos a Jesus”. O qual fiz questão de
contar aos nossos filhos, e estes aos seus filhos.

Meu nome é: Miriãmar Anchieta, hoje estou com 52 anos, e este fato ainda está claro em meu coração como há 42 anos atrás. Em nome de Jesus, você meu irmão ou minha irmã, que está passando por lutas, não murmure, mas faz como a minha mãe, conta para Jesus, e só ele poderá lhe dar o socorro como nos deu.

Que Jesus abençôe a quem ler este simples testemunho e que sirva para edificar a fé
de todos os irmãos.

Amém.