Televisão dissemina culto pagão em novela

Notícias - Evangelismo

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
O culto Wicca na moda – pelo menos esta é a intenção da nova novela Eterna Magia exibida para todas as idades pela Rede Globo. Depois de divulgar o espiritismo, a proposta da emissora é socializar a bruxaria. Baseada na Wicca, a novela mostrará cenas de rituais secretos de magia utilizados para modificar o futuro dos personagens, tanto para o bem como para o mal. Apesar de toda essa propaganda a favor da bruxaria, os símbolos e as práticas dessa religião deixam clara sua malignidade.

De acordo com o site Terra, uma Pesquisa de Identificação Religiosa conduzida nos Estados Unidos pela Universidade Municipal de Nova York, em 2001, constatou que os Wicca eram a seita religiosa de crescimento mais rápido no país, com 134 mil praticantes declarados, naquele ano, ante apenas 8 mil em 1990. Contudo, alguns praticantes dessa doutrina temem perder amigos e empregos caso as pessoas descubram no que acreditam.

Não é para menos. Os rituais e práticas precisam ser mantidos sob sigilo, o que caracteriza o ocultismo. Há diversas denominações (chamadas comumente de Tradições) Wiccanas. Assim, há uma enorme quantidade de variações sobre as crenças e as práticas Wiccanas. A prática mais comum cultua duas divindades, a Deusa e o Deus, também conhecido por Deus Cornífero (do latim, “o que porta cornos”).

A maioria dos praticantes de Wicca se diz politeísta, por fazer referências a panteões específicos, como o celta ou o grego. Nunca se consideram monoteístas. Para eles não existe um Deus único. A liturgia celebra as fases da lua e as mudanças das estações do ano. De acordo com essa filosofia, não existe uma entidade que represente o mal supremo. Para eles “todos os deuses têm a polaridade bem/mal e a sabedoria para usar”.

“É uma religião muito aberta”, diz Helen Berger, professora de Sociologia na Universidade de West Chester, Pensilvânia. “Cada pessoa pode fazer o que deseja, e não precisa pertencer a um grupo. Eles se inspiram em diversas fontes diferentes. Por exemplo, nas religiões orientais ou nas práticas dos celtas. Cada pessoa tem autoridade última sobre sua experiência religiosa”, destaca.

A Bíblia é clara ao afirmar sobre a existência de Deus e seus feitos. Como frisa o livro Manual de Apologética Cristã, do pastor Esequias Soares, todas as formas de ocultismo são abomináveis aos olhos de Deus. “São uma afronta a Deus. A Bíblia diz que quem pratica tais coisas estão alienados de Deus: ‘Os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus’ (Gálatas 5.19-21)”, enfatiza o pastor.

Fonte: Terra e Jornalismo CPAD