Ateus querem proibir treinadores cristãos de usarem o Twitter para falar de Deus

Notícias - Comunidade

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

alt

A principal organização ateísta dos Estados Unidos, a Fundação “Freedom From Religion” (FFRF) está pressionando a Universidade do Mississippi para proibir que seu principal treinador de futebol americano, Hugh Freeze use sua conta pessoal no Twitter para para falar sobre sua fé cristã e compartilhar suas reflexões a respeito de seu relacionamento com Deus. Com sede em Wisconsin (EUA), a fundação enviou uma carta ao chanceler da Universidade, Jeffrey Vitter, na semana passada, pedindo que ele tomasse medidas para garantir que Freeze e sua equipe técnica não irão a suas contas pessoais na mídia social para falar sobre temas relacionados à fé. O advogado da 'FFRF', Sam Grover argumentou na carta que é uma violação da cláusula de estabelecimento da Primeira Emenda à Constituição dos Estados Unidos para uma entidade pública para promover a religião.

alt

Freeze geralmente usa sua conta no Twitter para promover o cristianismo. Mais recentemente, no domingo, o treinador usou seu perfil para convidar a todos assistirem ao culto da igreja 'Pinelake', em Oxford, no Mississippi. "Espero que vocês tenham a chance de adorar a Deus hoje com outras pessoas. Se estiverem procurando um lugar perto de Oxford, junte-se a nós na @PinelakeOXF, às 9:15 ou 11:00", escreveu Freeze no Twitter.

alt

No sábado, Freeze compartilhou um tweet do treinador assistente, Maurice Harris, que citou 1 João 1:8 e Romanos 3:21 para argumentar que "pessoas perfeitas não são reais, e as pessoas reais não são perfeitas". Embora Freeze tenha o direito - como qualquer cidadão - de escrever o que quiser nas mídias sociais, Grover argumentou na carta que o treinador "não pode promover suas crenças religiosas pessoais, enquanto estiver atuando como um funcionário universitário".

alt

"A 'FFRF' pede à Universidade do Mississippi que tome medidas imediatas para garantir que o treinador Freeze, o treinador Harris e o resto do departamento atlético da instituição tenham consciência de que não podem promover a religião enquanto atuam como funcionários universitários", acrescentou o documento.

alt

Jeremy Dys, consultor sênior do 'First Liberty' destacou que a 'FFRF' tem recorrido ao intolerante bullying na tentativa de silenciar e censurar o treinador Freeze. No Instituto 'First Liberty', defendemos a liberdade religiosa para todos os americanos. Incentivamos a Universidade do Mississippi a ignorar a carta da FFRF", finalizou.

Fonte: The Christian Post