Páscoa deve movimentar 1.600 novos empregos temporários na Capital

Notícias - Comunidade

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Para cobrir a grande demanda, empresas já estão à procura de trabalhadores temporários para período de páscoa


Faltando poucos dias para a Páscoa (8/abr),  o comércio se prepara aceleradamente para a data. Justamente neste período aumenta o número de empregos temporários, a fim de cobrir a grande demanda de produtos e consumidores. Na Capital, segundo Departamento de Pesquisa e Estatística (Depe) da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), a expectativa é de 1.600 novos empregos.

O Depe acredita ainda, que a páscoa em 2012 deve efetivar 15% do total de trabalhadores temporários.  Gerando assim, 240 novos empregados fixos em Campo Grande. Considerando que este período é o terceiro melhor do ano, no ramo do comércio para quem procura um emprego provisório. Em primeiro lugar esta o Natal (25/12) seguido pelo Dia das Mães (13/mai).

Para o 1º Secretario da ACICG, Roberto Oshiro, o interessado em um espaço no mercado de trabalho deve primeiramente se capacitar e depois já na pratica prestar um bom serviço, atender bem os clientes e manter um bom relacionamento.

“Neste período de emprego provisório é preciso ter disposição, atende bem os clientes ser cativante e procurar um diferencial. Caso não seja efetivado, não desanime procure manter o contato, pois bons relacionamentos contam muito. Hoje a falta de capacitação é o fator negativo no mercado, pensando nisso a associação criou o projeto Abre Vagas, oferecendo diversos cursos básicos, entre eles o de atendimento. A iniciativa tem percorrido também os bairros da Capital, é cobrado um valor simbólico pelo curso e depois a pessoa tem seu nome registrado no banco de vagas” explicou Oshiro. 

As principais funções disponíveis no comércio e que estão em destaque são: para promotor de vendas, balconista, vendedor, degustador, demonstrador e repositor.  Na maioria dos casos não há exigência de experiência anterior, mas é preciso ter entre 18 e 30 anos, facilidade em lidar com público, dinamismo, entusiasmo, criatividade e organização. Os salários variam de R$ 700 a R$ 1.200, podendo ter incluso vale-transporte, vale-refeição e abono por bom desempenho.

Já no quesito produto, os mais procurados são os ovos de páscoa, barra de chocolate para confecção de ovos, bacalhau, vinhos, produtos de padarias, bombons e entre outros derivados do chocolate. Com isso, o Depe prevê um crescimento entre 11% e 15% no volume de vendas, em relação ao mesmo período do ano passado. Ainda, o produto mais vendido será o ovo de Páscoa, por oferecer estímulo infantil na comercialização, como brindes e personagens licenciados.