Vídeo: Pr. Eliezer mostra os exemplos de Elias e de Jesus no aperfeiçoamento do obreiro

Vídeos - Vídeos

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 


O Pastor Eliezer de Lira e Silva continuou seu ensino na tarde de sexta-feira, 21 de março, discorrendo sobre o profeta Elias e sobre o ministério de Jesus. O professor ensinou que os profetas mostraram disposição para agradar a Deus e se submeter à sua vontade. E insistiu que se Deus estiver interessado em aperfeiçoar um homem, tem disposição e direito a isso; se alguém tem direito total sobre nós, esse alguém é Deus. No caso do profeta Elias, lembrou que o profeta israelita passou por crise existencial - que não deve ser confundida com pecado, que não é o caso. Mas Deus desceu até o nível de Elias para recuperá-lo e aperfeiçoá-lo.

Elias, quando enfrentou sua crise existencial (1 Re 19. 4), já havia da uma importante contribuição ao Reino de Israel e com o seu povo na ocasião em que eliminou 850 profetas de Baal e Asera (1 Re 18. 19-40), trazidos por Jezabel. Mas Deus não quer que seus obreiros cumpram apenas parte da carreira ministerial. Esta deve ser desenvolvida cabalmente. Deus não aceita desistentes, que se contentem com apenas uma parte do trabalho cumprido. Elias ainda tinha uma missão: deixar um sucessor.

Um obreiro que não investe nas novas gerações é um obreiro falido. Ao final de sua carreira Elias deixou seguidores e um sucessor e, ainda mais, encerrou sua carreira ativo, "falando e andando" (2 Re 2. 11). Deus quer que o obreiro seja ativo até o final de sua carreira. Elias, quando tiveram, ele e Eliseu, que atravessar o Jordão, tocou as águas com sua capa e as águas dividiram-se de forma que conseguiram atravessar a seco (2 Re 2. 8). Assim, até o último momento, agia como homem de Deus, sem ficar preso ao passado, sem saudosismos.

No caso do ministério de Jesus, mostrou que Ele veio para formar um corpo discipular. Não veio apenas defender a unidade em meio à diversidade mas veio por em prática, implantar a unidade na diversidade.

Jesus não veio para podar a personalidade dos homens; não veio substituir o temperamento - o temperamento pode ser lapidado, controlado, trabalhado. Ele veio restaurar os valores morais, o caráter do homem. Deus nos dá poder para elaborar boas ações e reações que contribuam para a glória de Deus.

Jesus chamou homens de diferentes idades, de diferentes profissões e de diferentes formações, de diferentes procedências, mas que cuja obediência era absolutamente viável, pois o Senhor nuca nos deu um jugo acima de nossas possibilidades. Formou esses homens por meio de aforismos, parábolas, discursos e admoestações, de forma que esses homens mudaram seu modo de vida eforam aprovados por Deus. Ensinou que o homem precisa se avaliar e daí ajustar-se às necessidades cotidianas do seu ministério.

Isso tudo é porque para Deus devemos estar dispostos a dar o melhor de nós.