Vídeo: Pr. Severino Torres: Santa Ceia e Adoração

Vídeos - Vídeos

Avaliação do Usuário: / 6
PiorMelhor 

Na Santa Ceia deste sábado, 24 de novembro, a adoração a Deus, exercida pelos jovens, pelas irmãs, pelo coral, pela orquestra, pela cantora Darlete Cruz e pela igreja reunida, motivou o sermão do Pastor Severino, de São Paulo. O pastor mostrou, através da figura do ouro, do incenso e da mirra que Jesus recebera de presente dos magos do oriente (Mt. 2. 11) - tradicionalmente conhecidos como Belchior, Gaspar e Baltazar - a necessidade que temos de adorar ao Senhor.
Belchior ofereceu ouro a Jesus. O ouro representa a realeza do menino então recém-nascido. O mago não estava lá para presentear um menino mas para dar sua oferta, sua adoração, ao Rei dos reis, ao Rei da Glória (Sl 24.10). Devemos ofertar ao Senhor o que temos de melhor, nosso melhor tempo, nossos melhores recursos. A oferta de Abel foi aceita por Deus pois eram as primícias de seu rebanho; a de Caim, feita com as sobras de sua lavoura, foram recusadas, porque Deus não aceita restos.

O segundo presente, oferecido por Gaspar, o mago mais jovem, foi o incenso. O incenso é a figura da Divindade de Jesus e sua oferta representa a adoração e a oração dos crentes. Deus não aceita incenso estranho (Ex 30. 9), não quer adoração estranha e está a procura de verdadeiros adoradores (Jo 4.23). Adorar em verdade significa adorá-lO por sua natureza divina; os falsos adoradores o adoram apenas de lábios ou apenas para receberem suas recompensas, suas bênçãos. A Assembléia de Deus é uma igreja essencialmente pentecostal e essa tradicão deve ser mantida em nossos cultos, dando liberdade ao Espírito Santo, a despeito dos críticos que se posicionam contra as manifestações explícitas dos adoradores.

O terceiro presente foi a mirra, ofertada pelo mais sábio dos magos, Baltazar, e representa a Graça de Deus. A mirra é extraída e processada através de batidas, de golpes dados em sua árvore. Isso denota o sofrimento de Cristo, moído pelas nossas iniqüidades. Deus não mandou um querubim ou um serafim para nos salvar mas enviou o que tinha de melhor: Seu Único Filho.

Portanto, devemos adorá-lO por Sua Majestade, por Sua Divindade e por Sua Graça.