Ressurreição do filho da viúva de Naim

Artigos - Artigos

Avaliação do Usuário: / 230
PiorMelhor 

Lucas 7.11-15

E aconteceu que, no dia seguinte, ele foi à cidade chamada Naim, e com ele iam muitos dos seus discípulos, e uma grande multidäo; E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mäe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidäo da cidade. E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixäo por ela, e disse-lhe: Näo chores. E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o defunto assentou-se, e começou a falar.E entregou-o a sua mãe”.


Ressurreição do filho da viúva de Naim

E aconteceu que, no dia seguinte, ele foi à cidade chamada Naim,“

Naim é uma cidade que fica no sopé do monte Tabor; é uma vila muito pobre, habitada por árabes muçulmanos;

e com ele iam muitos dos seus discípulos, e uma grande multidäo;”

E Jesus entrou nesta cidade juntamente com seus discípulos, e os acompanhava uma grande multidão, e cada homem, mulher e criança, que estava naquela caminhada, tinha grandes motivos para estarem ali.

Todos tinham necessidades, seja física ou espiritual; cada paralítico, endemoninhado, enfermo, leproso, cego, surdo; todos conheciam o poder de Jesus, a multidão sabia que onde Jesus estava, haveria vida, alegria, operação de milagres.

Toda aquela multidão que estava acompanhando Jesus, não era por somente ouvir falar a respeito, mas o conhecia por testemunhar as grandes obras que o Senhor havia realizado; cada um deles foi testemunha de quando o Senhor curou o filho do oficial, o paralítico de Betesda, a sogra de Pedro, o homem da mão ressequida, o criado do centurião, o endemoninhado mudo, os dois cegos, a filha da Cananéia, um surdo e gago, o cego de Betsaida, o jovem possesso, a mulher enferma, os leprosos, o cego Bartimeu, quando acalmou a tempestade, ressuscitou a filha de Jairo, andou sobre as águas, ressuscitou Lázaro. Todos puderam contemplar as maravilhas de Jesus, e o que é estar na presença do Deus Todo Poderoso; este era o motivo de haver junto ao Senhor uma grande multidão.

> Estar na presença de Jesus é ter somente alegria e não tristeza.

Transformação de Água em Vinho - João 2.1-11.

Houve uma festa de casamento em Cana da Galiléia, e Jesus e seus discípulos foram convidados, e no decorrer da festa acabou o vinho, o que era motivo de grande tristeza, pois o vinho representa alegria; mas Jesus estava presente, e principiou os seus milagres através da transformação de água em vinho; o que Jesus transformou na verdade foi “tristeza em alegria”, e aquela multidão que seguia o Mestre pode presenciar que onde Jesus está não existe tristeza, somente alegria.

> Estar na presença de Jesus é ter saúde e não enfermidade.

Cura do paralítico de Betesda - João 5.1-9

Havia uma festa entre os judeus, e a porta das ovelhas havia um tanque e grande multidäo de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água. Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar säo? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, näo tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou säo; e tomou o seu leito, e andava.”

Aquele homem estava enfermo a 38 anos, e não havia nada que pudesse curá-lo, mas Jesus chegou diante dele e perguntou “Queres ficar são”, “Levanta-te, toma o teu leito, e anda”. e imediatamente ficou curado.

A multidão mais uma vez pode presenciar um grande milagre, e confirmar que na presença de Jesus não existe enfermidade, somente saúde.

> Estar na presença de Jesus é ter vida e não morte.

Cura do filho do Oficial - João 4.46-54

E havia ali um nobre, cujo filho estava enfermo em Cafarnaum. Ouvindo este que Jesus vinha da Judéia para a Galiléia, foi ter com ele, e rogou-lhe que descesse, e curasse o seu filho, porque já estava à morte. Disse-lhe o nobre: Senhor, desce, antes que meu filho morra. Disse-lhe Jesus: Vai, o teu filho vive. E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse, e partiu.”

Aquele homem acreditou que Jesus poderia curar a enfernidade que estava encaminhando o seu filho para a morte, e a multidão que acompanhava os passos de Jesus pode testemunhar, que com apenas uma palavra, a enfermidade deixou aquele menino e ele pode ser curado; todos naquele momento puderam entender que quando Jesus está presente não existe morte , somente vida.

> Caminhar na presença de Jesus é a certeza de se ter alegria, saúde e vida.

Mas o grande motivo de toda aquela multidão estar caminhando com Jesus, se encontra no texto abaixo.

Cura do cego Bartimeu - Marcos 10.46-52.

E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidäo, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ánimo; levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.”

A multidão pode presenciar quando Bartimeu, clamava a Jesus, pois precisava de uma benção de cura em sua vida, e como Ele se aproximou daquele homem; e lhe perguntou “Que queres que eu te faça?” Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.

Jeusus curou aquele homem e o despediu, mas Bartimeu não foi ingrato, ele passou a caminhar ao lado de Jesus, porque havia em seu coração uma gratidão pelo que havia recebido do Mestre.

> Qual o motivo de uma grande multidão estar caminhando ao lado de Jesus?

  • Porque ao lado de Jesus não existe tristeza, somente alegria;

  • Porque ao lado de Jesus não existe enfermidade, somente saúde;

  • Porque ao lado de Jesus não existe morte, somente vida;

  • Mas principalmente, porque temos em nosso coração uma gratidão pelo que o Senhor tem feito pelas nossas vidas.


E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mäe, que era viúva;”

E quando Jesus chegou perto da porta da cidade, vinha em sua direção uma outra multidão, estes levavam um defunto, filho único de sua mäe, que era viúva.

Existe um grande contraste entre estas duas multidões; na primeira havia alegria, festa, vida, presença de milagres; na segunda havia tristeza, choro, pranto, morte, sofrimento. O que havia de diferente entre as duas multidões era a presença do Jesus, e isto é o que reflete na nossa vida, somente haverá alegria, festa, vida, presença de milagres, se Jesus fizer parte da nossa vida, se nós estivermos caminhando junto com o Mestre; pois de outra forma, a nossa caminhada será regada de sofrimento, de tristeza, de choro, de morte.

e com ela ia uma grande multidäo da cidade.”

Esta multidão vinha caminhando em direção a Jesus; isto nos mostra que não estava caminhando em sentido contrario ao Senhor, mas em direção ao Mestre, havia entre aquele grupo de pessoas uma necessidade de um encontro pessoal com o Senhor; pois não importa qual seja a situação que estivermos passando, por mais difícil que seja, por mais impossível que nos possa parecer; e não adianta de outra forma, buscarmos recursos no mundo ou nos homens, porque a situação que nós estivermos passando somente será revertida após um encontro pessoal com Jesus.

E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixäo por ela,”

Ao chegar na presença de Jesus, aquela mulher colocou todas as suas necessidades, toda a sua dor, todo o seu sofrimento, ela naquele momento representava toda a multidão que a acompanhava; o filho estava morto, não havia motivo para alegria, mas agora ela estava na presença do Senhor e toda a sua situação poderia ser transformada.

e disse-lhe: Näo chores.”

Mas é necessário observar a forma como ela se apresentou ao Senhor, (chorando), e esta atitude tocou no coração do senhor; o choro do servo move o coração de Deus.

E, chegando-se, tocou o esquife”

Quando o Senhor tocou a esquife algo extraordinário aconteceu, céus e terra foram movidos naquele instante, e um grande milagre aconteceu, com apenas um toque do Senhor, a morte mais uma vez não prevaleceu diante de nosso Mestre.

(e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o defunto assentou-se, e começou a falar. E entregou-o a sua mãe.”

A partir daquele momento deixou de existir duas multidões, mas apenas uma, prque todos puderam presenciar o poder, a misericórdia, o amor do Senhor pela vida do homem; e passaram a seguir ao Senhor, porque eles entenderam que somente na presença do Pai é que não haverá mais tristeza, somente alegria, não haverá morte, somente vida, mas principalmente acompanharam ao Senhor porque havia em seus corações uma gratidão pelo Senhor e Salvador Jesus Cristo.


Amados irmãos:

Não importa a situação que você esteja passando neste momento; pois existe um Deus que é fiel e justo, você somente precisa tomar uma decisão; andar na direção, se achegar ao Senhor, se colocar na presença do Pai, chorar aos pés de Jesus, esta atitude move o coração de nosso Deus, e toda e qualquer situação que você esteja vivendo, creia que será revertida para honra e glória do Senhor Jesus; onde houver tristeza, haverá alegria, onde houver morte, haverá vida.

Porque pela sua morte na cruz do calvário, nós fomos resgatado para uma vida eterna.

Que a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, esteja com você e toda a sua família.

Amém

André de Carvalho Ribeiro

Assembléia de Deus – Serra (ES)

Obreiro - Pregador