Paulo Dialoga Com Timóteo Sobre Caráter, Competência e Unidade

Artigos - Artigos

Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 


De repente me flagrei extasiado meditando no terceiro capítulo da segunda epístola de Paulo ao seu discípulo Timóteo. Até baixei a cabeça para inalar o odor do papel. Mentalmente senti o cheiro de tinta fresca! O texto é atual demais, contundente demais, verídico demais…

Na condição de pastor de igreja – e antes que o leitor pense que este articulista esteja querendo se ufanar pelo título de pastor, confesso que tenho evitado me apresentar como tal, dado o desgaste que este título tem sofrido. E penso que em nenhum lugar o título de pastor esteja tão desgastado quanto aqui na Europa. Muitos já são os que o substituíram por Bispo, Apóstolo, Reverendo…conforme a ambição do indivíduo. Mas como ia dizendo, na condição de pastor, tenho verificado in loco estas verdades as quais o texto bíblico supra referido nos adverte, nos anuncia, parece mesmo que denuncia!


Para desespero de uns e consolo de outros, o texto já começa nos situando em que tempo estamos vivendo: Nos últimos dias! (é pertinente que o leitor faça uma leitura prévia da passagem em apreço).

Agora, imagine o cenário que vossa mente possa criar, mas liberte-se do papel e da tinta e mentalize Paulo num diálogo caloroso com Timóteo. A conversa é pastoral. Paulo contrasta “o homem chamado com o homem oferecido”, e passa a relatar o comportamento de pseudos líderes cristãos em seus dias; embora o tema da conversa seja tão atual quanto o jornal de hoje.

Após meditar de forma contemplativa neste diálogo entre o mestre e o discípulo, materializei minha contemplação e passo a dividi-la com o leitor.


Paulo Dialoga Sobre o Caráter Do Homem Presunçoso

Paulo considera que nos últimos dias haverá tempos difíceis. Os homens se tornarão cada vez mais amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos e profanos.

Ora, num mundo de tanta competitividade e luta pela sobrevivência, parece que encontramos este comportamento em praticamente todos aqueles que não nasceram de novo. Mas se fixarmos bem os olhos no quadro, veremos que o cenário é ainda mais desolador, pois até mesmo entre os domésticos da fé nos deparamos com os que também agem de igual modo. Sim, pois suas atitudes são de quem não demonstram afeto natural; e por isto mesmo são irreconciliáveis, caluniadores, descontrolados, cruéis, sem amor para com os bons. Praticando tais atitudes, suas consciências ficam cauterizadas e se tornam traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos prazeres imediatos do que amigos de Deus! É assim que eles vivem, — embora tenham aparência e trejeitos de piedade, mas negam a eficácia dela.

Ouça o conselho do apóstolo para seu discípulo: Desses, afasta-te! Não os sigas, nem os imites. Mais, não tenhas inveja deles. Jamais creias que eles ficarão sem o juízo da verdade; mais dia menos dia eles terão o que merecem.


Paulo Dialoga Sobre A (In) Competência De Certos Lideres

Paulo pressentia que sua partida – leia-se execução – estava próxima. (4.6-8). Do alto da sua experiência missionária, passou a relatar ao pastor de Éfeso como costumam agir os pseudos lideres. Mas a tendência era que isso se agravaria ainda mais.

Desprovidos de uma vocação, e por conseguintes sem um chamado divino, estes se auto-denominariam pastores, mestres e até doutores. Mas onde achariam público para ouvi-los? Ora, entre esses há os que se introduzem nas casas com a finalidade de seduzirem mulheres levianas e insensatas, as quais andam cativas de seus próprios sonhos; e, assim, terminam por ficarem carregadas dos pecados de suas próprias carências. Por isso, tais mulheres são levadas pelo impulso das várias concupiscências; e, assim, aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade, posto que a indiferença para com a verdade que se sabe, torna insensível o coração.


Olhando a partir da perspectiva de quem pastoreia igreja, conjecturando cá em meus pensamentos, creio que a dinâmica dos acontecimentos que Paulo estava explicando a Timóteo era: Uma vez que as mulheres fossem influenciados por estes inescrepulosos manipuladores de mentes e mercadores da palavra, elas se tornariam resistentes aos seus maridos e por conseguinte aos seus pastores, e caso fossem chamadas a atenção pelo seu comportamento levianos, embora com fortes indícios de espiritualidades, sentiriam-se injustiçadas e até “perseguidas” e estaria aí desenhado o caminho para as facções e, ato contínuo, para as rebeliões em ministérios. E o apóstolo não está divagando em seus pensamentos, não! Ele fala a partir da própria experiência e faz questão de citar nomes: O que ilustra essa situação muito bem foi o que aconteceu a Janes e Jambres, os quais resistiram a Moisés no deserto.


É lamentável que muitos líderes atuais não podem manifestar a mesma ousadia do apóstolo, ou seja, não podem citar nomes pois seus nomes também estão comprometidos. Assim, os que não têm competência para abrir novas frentes de trabalhos vão assolando os campos alheios, interessados tão-somente em promover-se a si próprio, uma vez que Paulo os rotula de “pregadores de si mesmo”. Mas a voz deste denodado missionário, conforme Hebreus 11.4, “depois de morto ainda fala”. Ouçamo-lo: Ora, do mesmo modo estes pregadores de si mesmo e de suas próprias cobiças também resistem à verdade do Evangelho. Mas que fique isso muito claro: Por esta razão é que são homens corruptos de entendimento, reprováveis e reprovados quanto à fé. Não irão, porém, avante! Porque a todos será manifesto o desvario e o surto deles, como também aconteceu com os opositores de Moisés.



Paulo Reivindica Lealdade De Seu Discípulo

Convivendo num ambiente tão hostil, Paulo orienta Timóteo para que mantenha sua lealdade com o apóstolo, afim de trabalharem numa unidade a ponto de, mesmo que seu tutor viesse a ser executado, Timóteo preservaria e propagaria a sã doutrina. Quanto a este quesito, o doutor dos gentios não usa meias palavras: Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência. Perseguições e aflições tais quais me aconteceram, tu conheces bem; e viste como me portei. Já sofri muito pelo Evangelho. Hoje também muito sofro. E sei que ainda muito sofrerei. Mas o Senhor de todas me livrou e me livrará! Afinal, é assim mesmo; pois, todos quantos queiram viver piamente em Cristo Jesus enfrentará perseguições; ora explícitas, ora implícitas; as vezes objetivas e outras vezes subjetivas; abertas ou veladas; hostis ou hipócritas.

Sabe, Porém, Isto…

Os homens perversos, dissimulados e enganadores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados — embora sempre creiam que com seus maneirismos estejam levando vantagem até contra o diabo.

Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. O que hoje sabes já o tens aprendido desde a tua meninice. Afinal, conheces a Bíblia e suas escrituras inspiradas, as quais podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para exortar, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

Soli Deo Glória!



*Pr. Samuel Silva é Articulista, Teólogo e Pedagogo. Prfº de Teologia Sistemática. Membro da CGADB. Missionário credenciado pela SENAMI. Líder da Ass. De Deus Missões – ADM em Portugal. (Quinta do Conde) Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.