Jovem e Cristão - um estilo de vida

Artigos - Artigos

Avaliação do Usuário: / 8
PiorMelhor 


“O vento sopra aonde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito”. Jo 3.8


O jovem é dotado de livre-arbítrio, isto é, pode alterar o curso de sua maneira de pensar e de viver, sendo responsável por fazer tal. No entanto, isso não funciona no vazio.

De fato para tomar suas decisões, o ser humano tem de vencer a si mesmo, além de ter de vencer muita oposição exterior. Mas, Deus tornou isso possível através do sacrifício que Jesus Cristo efetuou na cruz do Calvário.

A vida nos mostra que uma pessoa com Cristo ou sem ele, sabe muito bem diferençar o bem do mal, e pode escolher uma ou outra coisa, ainda que, normalmente, o homem não regenerado prefira sempre o mal.

Porém a salvação oportuniza ao ser humano um novo estilo de vida. A mensagem cristã inteira diz que Cristo veio para salvar os pecadores, e deles se espera que correspondam à chamada divina e ao arrependimento.

A fé em Jesus Cristo é a única condição prévia que Deus requer do homem para a salvação. Ela não é somente uma confissão a respeito de Cristo, mas também uma ação dinâmica, que brota do coração daquele que opta por seguir a Cristo como seu novo estilo de vida.

No Novo Testamento encontramos Pedro e André que eram pescadores – este era o estilo deles, mas, ao serem convidados por Jesus, logo adotaram um outro estilo – pescadores de homens.

O texto de Mt 4.20 afirma que: “Então, eles, deixando logo as redes seguiram-no”. Foi-lhes assim conferidos uma nova vontade, um novo poder de decisão, novos propósitos e alvos. E é assim que o crente se torna autêntico servo de Cristo, portanto nele vai sendo imprimida a vontade divina mediante o Espírito Santo.

Através dessa operação os homens se tornam verdadeiramente livres para assumir o estilo de vida de quem conhece a verdade. A verdade que liberta. Em Jo 8.32 lê-se: “E conhecereis a verdade,e a verdade vos libertará”.

O não-salvo é escravo do pecado. O seu estilo é o da opressão, embora muitas vezes nem perceba, mesmo sendo forçado a viver segundo as concupiscências da carne e escravo da desobediência.

No dia-a-dia o jovem cristão sente a pressão dos grupos cujo estilo de vida é opressor e luta para manter sua identidade cristã. Como sabemos, a sociedade é formada por grupos e fazer parte pelo menos de um grupo é uma necessidade para se viver em sociedade.

A questão é: Como conviver com os grupos sem ser influenciados por estilos de vida corruptos e pecaminosos? O apóstolo Paulo nos ajuda a escapar quando registra em Ef. 1.1-6, que fomos eleitos para o grupo da família cristã desde a fundação do mundo.

Tudo que devemos fazer é considerar esse favor imerecido e desfrutar dos valores desse estilo de vida como luz do mundo e sal da terra, influenciando outros grupos como o da escola o do trabalho, o da rua onde moramos, e tantos quantos surgirem.

Os verdadeiros cristãos não precisam temer nada. Como Paulo em Fp 1.1, já estamos mortos para o mundo. Podemos portanto influenciar com o nosso estilo de vida cristão diferente do estilo de vida mundano.

Foi isso que Jesus fez com Nicodemos, um homem muito rico, mestre e líder da cultura judaica, pertencente portanto a um grupo de elite. Entretanto, Nicodemos foi não somente atraído pelo estilo de vida de Jesus, bem como influenciado, visto que quando Jesus morreu, junto com José de Arimatéia, outro discípulo oculto, cuidou do sepultamento de Jesus trazendo ricos presentes na forma de especiarias para ungir o corpo de Jesus.

Nicodemos era um profundo admirador de Jesus pelo seu estilo de vida que já havia penetrado fortemente em todo o povo de Jerusalém. Apesar de ser participante do grupo do conselho dos fariseus, os quais viam-se como os únicos detentores da verdade, Nicodemos não cedeu à pressão do seu grupo, e embora à noite, talvez para não se expor tão diretamente, foi a procura de Jesus para fazer aquela pergunta muito comum nos dias atuais:

Como encontrar Deus? Apesar de ser um renomado professor, ter estudado muito e ter muito conhecimento, Nicodemos não sabia como encontrar Deus. Talvez ele tenha esperado que Jesus lhe apresentasse um grande discurso recheado de palavras difíceis ou uma complicada cerimônia religiosa, mas, a resposta de Jesus foi muito simples.

“Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus” (Jo 3.3). Nascer de novo! A expressão transformou-se em um enigma para Nicodemos que perguntou novamente: Como pode ser isso? Voltar à barriga da minha mãe, para nascer de novo?

E Jesus pacientemente explicou: “Aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” Ou seja, aquele que não passar por um processo de purificação através do Espírito Santo, que é um nascimento espiritual, não poderá ver o Reino de Deus, receber a vida eterna e a salvação mediante Jesus Cristo.

O novo nascimento, porém, não é apenas um momento, ele envolve uma vida de obediência a Jesus Cristo e o abandono do velho estilo de vida – o pecaminoso. Quem realmente nasceu de novo passa a ter o desejo de seguir a direção do Espírito Santo evita a vida de pecado e não ama mais o mundo.

Jesus também explicou a Nicodemos que quem nasce do Espírito passa a ter a natureza do Espírito, têm suas vidas livres do pecado, e são comparadas ao vento. “Como o vento assopra aonde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito” Jo 3.8.

O jovem cristão – nascido do Espírito tem sua vida livre para influenciar o mundo inteiro com o seu estilo de vida, e como o vento são livres para soprar onde Deus precisar de sua intervenção para fazer o mesmo que Jesus fez com Nicodemos, mostrando o plano de Deus para a salvação da humanidade e levando outros jovens a adotarem o seu estilo de sal da terra e luz do mundo.

Mt 5.13-16 mostra os valores do sal: sabor e poder de preservar da corrupção. Ao cristão e a igreja cabe esta responsabilidade, ser exemplo e proclamar que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” Jo 3.16.

Seja sal e luz mostrando a verdade da salvação e fazendo sempre o que é correto para influenciar pelo seu estilo de vida – não beber, não fumar, não dançar, não mentir, não se prostituir, andando segundo a vontade de Deus, lutando pelo Reino de Deus e dedicando sua vida a Ele.

É plenamente possível ter esse estilo de vida – Jovem, e Cristão. Podemos sim, ser fiéis a Deus. O novo nascimento através do Espírito Santo nos capacita a ser livres, felizes e sadios – distantes da corrupção do pecado vivendo um estilo de vida diferente – o estilo de Deus. Se você já adotou esse estilo, Parabéns! Mas se ainda não conhecia o novo nascimento, renasça agora para ser livre e voar nas asas do Espírito Santo. Deus quer lhe tornar o seu mais novo seguidor.